terça-feira, 30 de abril de 2019

Os encantos da Serra Gaúcha



     A Serra Gaúcha, no Sul do Brasil, é um lugar delicioso para se passear e descansar durante qualquer período do ano. Sua vegetação abundante, seus moradores muito educados, seus chocolates, seus restaurantes,  sua história, sua arquitetura; tudo isso encanta! Porém, devo dizer que no Verão - sobretudo em dezembro e janeiro -, ela ganha um charme todo especial com a presença das hortênsias floridas por todo canto (com destaque para  as estradas e os bondinhos aéreos) e o Natal Luz de Gramado.


 

     As hortênsias todo mundo conhece: são essas flores lindas nas fotos abaixo. Em dezembro e no início de janeiro, elas são presença constante. Para onde quer que se olhe, lá estão elas, embelezando e dominando a paisagem. Eu, que acho que as flores tornam a vida especial, caí de amores e estava com a câmera do meu celular o tempo todo pronta para fotografar aquela lindeza toda! Mas elas não são as únicas. Há outras flores enfeitando a região, especialmente em Gramado, onde me hospedei. A administração da cidade capricha mesmo na jardinagem, deixando as fotos dos turistas sempre bonitas!




     O Natal Luz foi uma ideia que fez muita diferença no turismo da região. Há algumas décadas, os turistas iam pra lá para curtir o frio e isso, por si só, já era um programa mais do que agradável e romântico, além de ser um convite e tanto para saborear os chocolates, fondues e massas locais. Há também o Festival de Cinema de Gramado, que atrai um bom público. Mas com a chegada do Natal Luz  e seus eventos, a região fica lotada de turistas nos meses quentes.

     O Natal Luz de Gramado existe há mais de 30 anos e acontece de Outubro a Janeiro.  Seus espetáculos têm uma magia que contagia e alguns deles (os que são pagos) são de impressionar mesmo. Entretenimento de alto nível! Não são baratos, mas valeram cada real pago! A cidade fica toda iluminada e você acaba realmente entrando no clima do Natal.






Bondinhos aéreos  e a Cachoeira do Caracol

     Estive em Gramado em 2000, depois em 2018 e, nesse intervalo, muita coisa mudou. A cidade vem investindo cada vez mais no turismo, criando novas e interessantes atrações, atraindo a atenção de todas as faixas etárias. Tem teleférico com vista para a cachoeira do Caracol, esqui na neve (Snowland), museu de cera, museus de carros, passeio de pedalinho, Mini Mundo, aldeia do Papai Noel, passeio de Maria Fumaça em Bento Gonçalves, degustação de vinhos, Museu da Moda (incrível!) etc.





Alguns dos lugares que mais gostei :


Le Jardin - Parque de Lavanda











Lago Negro






Mini Mundo











Museu da Moda (Canela)













     Hospedar-se no centro de Gramado é estar perto  das lojas, restaurantes e ficar batendo perna pela cidade. Foi essa a minha escolha. Mas as atrações são todas distantes umas das outras e, dessa forma, é necessário ter um transporte para lhe levar a cada uma delas. Você pode fazer os passeios com uma agência ( é prático, mas muito corrido), usar transporte público, táxi ou alugar um carro.   

Para dicas preciosas e sugestões de roteiros, clique aqui.




















Canela



sexta-feira, 22 de março de 2019

Essência e aparência

Foto: Denise Mattos

Sou essência e sou aparência.
Sou imagem e sou conteúdo.
Sou vista por fora, mas revelo-me de dentro para fora.
Valorizo a estética mas admiro mesmo é a beleza interior.
Percebo em mim a complexidade, mas minha busca constante é pela simplicidade: no cotidiano, na maneira de enxergar a vida, na delicadeza do trato diário.
Procuro entrar em sintonia com meus sentimentos, conectando-me com o que é essencial.
Transito pelo mundo feminino com a intimidade e a admiração de quem conhece bem a força e a sensibilidade da mulher.
Sei que a maioria das respostas está dentro de mim, por isso trilho o caminho do autoconhecimento.
Mas sei também que, na vida, algumas perguntas não têm resposta; o melhor é aceitar e seguir em frente, em busca de uma vida autêntica, realizada e que reflita equilíbrio.
Denise Mattos

terça-feira, 19 de março de 2019

Doloroso, mas necessário

      
Foto :Denise Mattos


       Afastar-se de pessoas próximas pode doer. Pode  fazer com que você quase se sinta uma criatura inferior,  não dotada de sentimentos nobres como a compaixão e a compreensão, incapaz de exercer a sublime arte do perdão.

     Mas a verdade é que só você sabe o quanto já tentou buscar a harmonia e o entendimento com elas, pelas mais diversas vias: do diálogo, da compreensão, da escuta, da argumentação, do carinho e, por fim, da briga mesmo. Tudo em vão.

     Tanto tempo perdido. Nada surte efeito porque essas pessoas não querem trilhar o caminho da via de mão dupla, onde cada uma das partes dá e recebe, onde existe troca e interesse genuíno pelo outro. E nenhuma relação pode funcionar sem reciprocidade. Uma hora a parte que só se doa na relação acaba se cansando. Fica esgotada de estar sempre disponível, de sempre escutar, de ser útil.
      
      Elas te criticam por você ter se afastado, mas não percebem os motivos que lhe deram, para que você tomasse essa atitude como o último recurso para se distanciar dessas relações tóxicas, onde a outra parte tem olhos apenas para as próprias necessidades. O foco delas é, invariavelmente, o próprio umbigo. Porque uma coisa é priorizar os próprios interesses, mas ser capaz de voltar sua atenção para aqueles que lhe são próximos (sobretudo nos momentos em que estes mais necessitam); outra coisa é colocar suas vontades em primeiro lugar, em detrimento das outras pessoas.

      E aí, com o tempo, você percebe, através das atitudes dessas pessoas, a prevalência escancarada do egoísmo - obviamente não admitido por elas, que sem reconhecerem a própria responsabilidade na situação, lhe acusam de julgamentos injustos e postura de prevenção contra as mesmas.

      Mas tudo tem um limite e, chega um momento, em que você decide dar um basta em prol da sua paz interior. Então, você, vencido pelo cansaço, se afasta.  Você se reconhece como um ser humano cheio de defeitos, com muitos pontos a melhorar - afinal, antes de saber criticar é preciso ter autocrítica -, mas também se dá conta de que precisa se preservar, ser benevolente consigo, estar cercado por pessoas que lhe façam bem, pessoas que despertem o que há de melhor em você e te façam continuar acreditando no ser humano. 




quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

O bom da vida

Coisas que fazem a vida valer a pena


Ler

Amor de mãe

Sonhar

Amor companheiro

Fotografia

Olhar o mar

Esperança

Flores

Céu azul

Balé clássico

Fé - em Deus, em você, nas pessoas, na vida

Delicadeza

Chocolate


Abraço


Sorvete

 Amizades verdadeiras

Pôr-do-sol

Viajar




Imagens: we heart it,  meu Flickr